domingo, 24 de janeiro de 2016

Dia de domingo

15:43

Estou com tremores e uns calores degradantes, um enterrar num fosso sem fundo, onde o infinito tem lugar.

A alma sente-se sem condição, num tempo que não existe, numa marcação cerrada que parece não exprimir limites ou contestações.

Viver num mundo onde nada tem a ver connosco, onde tudo se complica, numa emboscada atroz. Sentimento de tudo parece um labirinto sem fim à vista.

Nem o sol maravilhoso dá alento a este coração raiado de tristeza, não se acha prazer em nada, escrever é a ultima alternativa mesmo com o sol pujante a raiar no céu.

Thereza Green

(imagem web)