segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Escrever sem esquecer

17h00

Escrevo versos de amor sem nunca os viver

Ingresso numa expressão sem prazer

Amor será algo real ou é faz de conta

Diz-me lá se se encontra a alma tonta.


Escrever tentando sorrir, vendo a luz

O fundo do túnel que se mostra e seduz

Aquele tema que tanto a encanta

Na calma que por vezes se espanta.


O amor deve ser um ser miraculoso

Que atinge aquele ser pouco sedoso

O trepinhar desmentido se reporta

Sem qualquer vínculo à porta.


Versões de auto- critica se relatam

Na conversão de valores desvalorizados

O tempo de amor se perdeu na corrente

Do rio rasgado pela grande enchente.


Thereza Green