segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Revolta sem sentido

17:19

Parece que uma reviravolta se assolou a alma, deixando-a na lama, sem sentido crítico, sem esperança.
Não sei qual é a verdade, sou dependente do não ser, um tema sem nenhum esquema, um desaire anda no ar e eu aqui sem saber porquê.

Preciso achar o âmago da existência, ver onde pára este tempo sem alento.

Deixar de acreditar nas sensações, no sentimento, reflicto que seja apenas um momento, uma cena sem julgamento, um perder de vista nas profundezas da esperança no centro do universo.

Preciso soltar as palavras e achar uma verdade sem segunda versão...

Thereza Green

(imagem web)